Dr. Rafael Coutinho Anselmo
Ortomolecular com extensão em Nutrigenômica

CRM/RJ: 52.95535-3

  • Médico formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF)

  • Membro da Associação Médica Brasileira de Prática Ortomolecular

  • Especialização em Prática Ortomolecular – FAPES

  • Curso de Suporte Avançado de Vida em Cardiologia ACLS – SAVC

  • Curso de Ciências da Longevidade Humana

Experiência Profissional

  • Médico clínico das Unidades Básicas de Saúde na cidade de São José dos Campos. Período: desde 06/2019.

  • Médico da Unidade de Emergência do Hospital Icaraí (Niterói-RJ). Período: 05/2013 a 05/2019.

  • Médico da Unidade de Pronto Atendimento – UPA Itaboraí-RJ. Período: 09/2015 a 08/2018.

  • Médico da Unidade de Emergência do Hospital Niterói D´or (Niterói-RJ). Período: durante o ano de 2014.

  • Médico da Unidade de Pronto Atendimento – UPA Santa Luzia (São Gonçalo-RJ). Período: durante o ano de 2013.

Minha História

Nasci em nova friburgo, região serrana do Rio de Janeiro, no ano de 1983. Em 2001 me mudei para niterói e comecei uma longa jornada em busca de um sonho. Não sei te dizer se eu escolhi a medicina ou se ela me escolheu. Tampouco saberia dizer quando tudo isso começou. minha querida mãe sonia sempre fala que desde muito pequeno eu já falava sobre ser médico. O sonho se tornou realidade em 2007. Após 6 longos anos batalhando nos vestibulares a minha hora chegou. Sim, foram 6 anos de muita dedicação, empenho, ganhos, perdas … olha, não foi fácil. Mas posso te falar com toda certeza que esses anos mudaram a minha vida. Aprendi a perder, a vencer. Hoje levo isso comigo para qualquer lugar que eu vá.

Médico formado pela Universidade Federal Fluminense em 2012, posso dizer que eu demorei um pouco a me “encontrar” na medicina. Desde o primeiro dia de aula na faculdade a pergunta sobre qual especialidade seguir norteia o caminho do médico. E era justamente isso que me incomodava. Eu não me via um especialista. Não me via um médico do coração ou da pele ou dos olhos. As especialidades médicas têm uma importância enorme. São os especialistas que dominam as exceções, as peculiaridades. São eles que realizam as cirurgias, os transplantes, os partos. Eu me via um médico generalista. Um médico da pessoa como um todo. Além disso, com o tempo eu fui percebendo que eu gostava muito mais da saúde do que da doença.

Certo dia estava em casa pensando sobre isso. Já havia passado por experimentar algumas especialidades médicas como medicina intensiva, medicina de emergência, endocrinologia, mas não me via nelas. Algo ainda não tinha acontecido. E foi neste dia que tudo mudou. Encontrava-me diante da minha estante de livros médicos e percebi que cerca de 80% dos livros que eu tinha (e posso te garantir que não são poucos) eram relacionados as áreas da bioquímica, fisiologia, fisiopatologia e clínica médica.

Bem, ali estava a resposta que eu procurava. Na verdade, ali estavam as ferramentas que eu precisava para de fato atuar na medicina como eu sempre quis. A partir desse dia comecei a buscar uma maneira de incorporar esse conhecimento à minha prática clínica. Foi aí que conheci mais de perto a prática ortomolecular. Ainda hoje desconhecida por muitos, causa estranheza quando digo o que faço. A melhor definição de o que é a prática ortomolecular pra mim é: ortomolecular é a bioquímica aplicada à medicina.

Seis anos após a minha formatura eu começava a trilhar meu caminho. E como sempre digo, nada nessa vida é por acaso. Tudo tem a sua hora certa para acontecer. Eu acredito muito nisso. Só existe uma forma de se fazer bem uma coisa: amando aquilo que faz. Iniciei a especialização na área e literalmente um mundo de possibilidades se abriu diante de mim. Quem me conhece sabe que sempre fui muito ligado aos esportes. Já pratiquei futebol, futsal, boxe, tênis, taekwondo e hoje me divido entre musculação, crossfit e corrida de rua. Fazer essa associação entre a medicina do estilo de vida com a ortomolecular e os esportes tem sido de fato muito prazeroso.

Sempre falo isso com meus pacientes: o nosso estilo de vida revela muito bem como está a nossa saúde. Hoje as principais causas de morbimortalidade mundiais são diretamente impactadas pelo estilo de vida. Termino dizendo que exercício físico e boa alimentação são os verdadeiros remédios.  Uma dose diária deles. Experimente, você não vai se arrepender.